quinta-feira, 8 de março de 2007

Freedom for my people

O Dia Internacional da Mulher talvez me renda algumas rosas até o fim do dia.

É agenda setting, mas dói: a notícia da adolescente morta por uma bala "perdida" no Rio acabou comigo, dias atrás. "Perdida", veja só. Mas aí tem o caso do menino arrastado até a morte, da menina baleada numa fila de banco, e como diz a velha canção do Chico, "Rezo até ele chegar cá no alto,essa onda de assaltos tá um horror"

Quando eu tinha 15 anos ganhei um documentário de Phil Jouanou sobre a trajetória dos irlandeses na América. No caso, o U2. Em Nova Iorque, Bono e The Edge passeiam pelo Harlem. E antes, anos antes que você pudesse acusá-los de demagogia, havia um músico cego na calçada. Uma gaita, uma guitarra e uma voz negra norte-americana. Cena preciosa. Mensagem familiar.

I need some freedom.
Freedom for my people
I want some freedom
Freedom
Freedom, freedom for my people
I'd like some freedom
I need some freedom for my people
Freedom
Freedom, freedom for my people

2 comentários:

Iza disse...

D'Élia!

Adorei teu texto... A violência realmente assusta e pertuba nossas mentes nos dias atuais.

Acho que todos precisamos de um pouco de "freedom" and "peace" - sério!

Beijocas

Aurora Combs disse...

Opine na enquete do meu blog!