terça-feira, 6 de março de 2007

"Ela disse sim, vem Kafka comigo..."

"Quando certa manhã Gregor Samsa despertou de sonhos intranqüilos, encontrou-se transformado num terrível inseto". Frase inicial de "A Metamorfose", de Franz Kafka.

Agora me diz: como é que alguém pode ser o mesmo depois de ler isso?

A convite da Folha de S. Paulo,dezoito escritores aceitaram o desafio de reescrever o trecho inicial da obra-prima de Kafka. Os resultados mais bacanas são:

Metamorfose
Quando certa manhã acordou de um sonho intraqüilo, encontrou-se em seu canto metamorfoseado num ser humano. E, o que lhe pareceu particularmente monstruoso, já com nome: Gregor Samsa. - Por Teixeira Coelho

O triste fim de Gregor Samsa
- Que porra é essa? - pensou Gregor Samsa ao depertar dum sono turbulento; seu corpo, à luz da manhã e de seus olhos, não era mais humano. - Por Paulo Lins

Por que não uma pedra?
Numa certa manhã, um inseto acordou metamorfoseado num cidadão chamado Gregor Samsa. Perdeu a habilidade de voar,de andar sobre as paredes, ganhou uma pasta preta, um chapéu e documentos. Seu ambiente restringiu-se à fria Praga. - Por Marcelo Rubens Paiva

O milagre da multiplicação
Quando Gregor Samsa despertou certa manhã, como se saísse de um sonho, viu-se transformado em Borges. Tinha um rosto pequeno, com fios brancos espalhados pelo queixo e pelas faces,numa barba que devia ser escura. Nada semelhante com o escritor. Mesmo assim, era ele. - Por Ronaldo Lima Lins

7 comentários:

Dani Dias disse...

conhecenso seu espaço. Bjkas

MO disse...

Gostei do Paulo Lins e do Marcelo Rubens Paiva. Boa!

Iza disse...

Muito boa a reflexão... Engraçada, pelo menos! Gostei mesmo a do Marcelo Rubens Paiva. Ótimo!

Beijos :)

Junior disse...

ehehe gostei.. achei interessante =)

Túlio Vidal disse...

Em manhã cinzenta, Gregor Samsa encerra mais um sono turbulento, abre os olhos, espriguiça suas asas, desenrola suas antenas e percebe que algo está errado quando sente medo de vestir seus chinelos.

Anônimo disse...

Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de ter sonhos intranqüilos na Internet, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso. Como estava deitado sobre suas costas duras ainda não percebera, mas agora tinha asas; e vôou.

Ivan disse...

... mas ele nao ficou triste de imediato, pois agora, como dadiva divina, tinha adquirido uma forma fisica q trespassava ao mundo o seu verdadeiro eu interno.