quarta-feira, 4 de julho de 2007

Sentido

Agora tudo faz sentido. Meus olhos brilham.

Quando eu tinha 12 anos, montava listas de CDs para minha mãe comprar (nunca tive mesada). Depois entrava em pânico na seção musical do Mappin. Só podia levar um por mês. E isso foi antes de passar a economizar a grana do recreio para gastar na imunda e fétida Galeria do Rock. Passando por baixo da roleta do busão, dava até pra comer um hot-dog. Aquelas roqueiras feias com cara de gente que não toma banho ficavam olhando feio. O ódio heavy-metal sempre foi previsível. E nunca passou disso.

Ainda guardo CDs que me custavam semanas de economia e sonhos. Consumo bandas fugazes recomendadas pela NME por não mais que duas ouvidas em Mp3, e depois, vou tratar de música de verdade. Ou de literatura. Ou de cinema. De quebra, ainda faço rankings e listas, hábito que a Lua em Virgem não me deixa abandonar.

Mas eu dizia que meus olhos brilham. Isso acontece quando eu descubro tesouros e viro criança outra vez. Faço air guitar e air drums – esta última, modalidade que inventei - e isso vale até pra Mozart. Depois percebo que em volta não há ninguém. E sorrio aliviada, graças ao bom Deus.

Virei jornalista e toda vez que falo de música me lembro de que tomei essa decisão quando não havia saída. E na verdade ainda não há. Agora tudo faz sentido.

* no Guia da Semana, um comentário jornalístico meu, nesta coluna que passo a assinar mensalmente, sobre música.

3 comentários:

Anônimo disse...

Mas eu acho que a imprensa musical no Brasil está ainda engatinhando, principalmente em publicações sobre a música pop lá de fora. Com teu conhecimento de inglês é fácil caçar informações para escrever livros sobre o assunto. A Conrad e a Editora 34 começaram algo assim; mas ainda estamos longe de uma coleção como a "Rei Lagarto", da editora portuguesa Assírio & Alvim. E eu acho que rock vai virar, cada vez mais, um assunto histórico e importante para pesquisas futuras. Mas tem que ter curiosidade, até de ouvir o que vc não gosta.

Ricardo Lombardi disse...

nao ouvi falar...é bom? queria muito ouvir, Renata....

Dani Days disse...

parabéns pela coluna =)