quarta-feira, 18 de julho de 2007

M-U-R-D-E-R

Mais de 200 pessoas foram assassinadas ontem, naquele "acidente". Isso é genocídio.


A culpa não é minha, nem sua, nem nossa.


E aí, nos fodemos todos, de verde e amarelo. E de azul, branco, estrelinhas, desordem, regresso, fogo e

cinza
cinza
cinza
cinza
cinzas
fogo
água
e cinzas


Nos fodemos todos, com medalha de ouro e maravilha do mundo. Nos foderam, todos.


Depois eles tiram o corpo fora. E daí o dolo vai virar acaso. Amanhã é outro dia e é isso aí. Faz de conta que não foi nada. No dos outros é refresco.


Fatalidade. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal. Fatal.


* Me tirem daqui, pelo amor de Deus.

2 comentários:

Leo disse...

é....=/

Anita disse...

Lamento muito o que aconteceu, sinto muto pelos familiares, pois não há palavras em um momento como esse que possam confortá-los.Acho que filhos não deveriam morrer antes dos pais não é a ordem natural das coisas. E essas coisas que não esperamos são complicadas,aliás, lidar com perdas não é fácil.Que Triste! A passagem é sempre triste pra quem fica, pra quem vai eu não sei.... Não especulo muito sobre o outro lado, tudo o que eu sei está do lado de cá!Não sou hipócrita em dizer que aceito a morte numa boa, ainda faço parte do grupo dos que sofrem, e que não aprenderam ainda a aceitá-la.O importante é verificar de quem é a responsabilidade deste caos aéreo que o Brasil vem passando há meses. Me parece que um piloto previu o desastre. Espero que mais uma vez a impunidade não fique no choro do Lula.Repudio a situação em que se encontra o governo, conivente com esse caos aéreo. Paz a todos!
Anita