segunda-feira, 3 de maio de 2010

Breve teaser (ou pancada na cabeça)

"A questão da pedofilia tem que ser revista. Claro que há muitos casos de violência e violação sexual e eles precisam ser punidos. Mas durante minhas pesquisas, percebi que nunca foi perguntado a um adolescente por que ele teve relações sexuais com um homem mais velho. Há muitos casos não apenas consensuais, mas de amor e afeto entre adolescentes e pessoas bem mais velhas. Tenho entrevistas com pessoas que afirmaram ter seduzido, voluntariamente, homens mais velhos quando adolescentes. Hoje em dia são homossexuais muito bem resolvidos, tranquilos, que vivem muito bem. O que você vai fazer em casos consensuais como esse: proibir? Punir? E quanto às modelos adolescentes, posando com pouca ou nenhuma roupa em poses sensuais para fotografias sem nem raciocinar sobre o papel de objeto sexual que lhes é imposto pela sociedade adulta? Isso pra mim é uma prática pedofílica clássica, sobre a qual ninguém faz alarde. Alimentar uma paranoia é sempre a melhor forma de produzir o problema. Cultiva-se a sombra. É um contexto junguiano".

João Silvério Trevisan é ensaísta, romancista, pesquisador, criador da Parada do Orgulho Gay de São Paulo e militante pelos direitos civis de homossexuais. O trecho acima faz parte de uma longa entrevista concedida às jornalistas Renata D´Elia e Camila Hungria em abril de 2010.

2 comentários:

Carolina Bataier disse...

tem razão. esse negócio que a gente tem de desviar o foco, sempre mirando naquilo que interessa, é um grande problema!

Diego Fernandes disse...

Só lembrando, como já dizia o mestre Skinner, "Ninguém faz nada de graça, sempre tem uma consequência". Ou seja, alguém já parou pra analisar funcionalmente o que leva essas pessoas rotuladas pedófilas, a agir assim ou assado na sociedade em que vivemos?
Ou por acaso alguém ainda acredita que pau que nasce torto morre torto? Que a pessoa nasceu ruim, é do demônio, é "psicopata", é louco e isso explica tudo?