sábado, 19 de maio de 2007

Bicellianas e outras.

No site tem uma matéria com o professor Sérgio Amadeu, da Cásper Líbero, que fala sobre o lançameto de seu livro. Sobre o quê fala o livro? "Commons". Clique aqui.

Na capa, tem uma entrevista com o grande Roberto Bicelli, poeta e coordenador interino da Funarte - SP. A entrevista editada está aqui - clique já. . As partes cortadas estão aqui, abaixo.

Como andam as políticas públicas na área das Artes Visuais?
A Funarte, através da Rede Nacional de Artes Visuais, atua em todo o país com artistas convidados e locais, críticos, documentaristas e palestrantes. Edita catálogos e livros de crítica sempre muito importantes e bem cuidados,atua no fomento, apóia a pesquisa, a experimentação, promove a circulação de obras, preserva a memória das artes visuais no Brasil recuperando e catalogando acervos. Ou seja, está também se adequando às propostas da nova direção que manteve em boa hora o poeta, músico, artista plástico,teórico e produtor de artes visuais Xico Chaves à frente do CEAV (Centro de Artes Visuais). Esta semana foram lançados sete editais que não beneficiam só as Artes Visuais, mas a música, o circo, e o teatro. Haverá a seleção de projetos de fomento para o Conexão Artes Visuais MinC/Funarte/Petrobras, por exemplo e também ocorrerão premiações como o Prêmio Projéteis Funarte de Arte Contemporânea 2007. São ações muito promissoras no fomento da arte e da cultura.
.
Quanto custa para o governo manter projetos como os Espaços Funarte de Artes Visuais, de São Paulo?
Posso falar da Funarte - SP que, em 2007 deverá gastar R$100.000,00 (cem mil reais) para expor 30 artistas escolhidos por júri constituído por Agnaldo Farias, David Cury e José Roberto Aguilar .É uma quantia que, bem aproveitada, dará conta do cachê dos artistas, da montagem, divulgação, catálogo e demais despesas inerentes às 6 exposições que faremos. Para os projetos que citei acima, serão destinados mais de 2 milhões de reais a cada um deles.

Celso Frateschi, ex-secretário de cultura da cidade de São Paulo, tomou posse como presidente da FUNARTE. A literatura está em pauta para fazer parte das ações promovidas pela instituição. Quais são as expectativas a respeito?
O novo presidente da Funarte, Celso Frateschi, grande ator e gestor experimentadíssimo, deseja que atuemos em sintonia com a Educação. Nesse sentido a Funarte não será apenas um espaço cultural a mais na cidade, mas um espaço de reflexão e de formação. A literatura será importante em todo esse processo e desenvolveremos ações de excelência na área.

A Lei Rouanet tem sido duramente criticada nos últimos tempos, em parte devido ao financiamento do projeto “Amores Expressos”. Como você enxerga este processo?
A Lei Rouanet deverá ser modificadas em muitos aspectos. O ministro Gil trabalha nesse sentido, tem o diagnóstico preciso da situação e esperamos que ele tenha apoio político para isso. Agora, quanto aos escritores viajantes: boa viagem!

5 comentários:

Ariel disse...

mmmm... ¿Al editor no le conviene que se sepa que promover la cultura no es tan caro?

douglas.dangelo disse...

Entrevista histórica! Roberto Bicelli será redescoberto! E teremos um novo livro de poesia para as próximas décadas.

Aline disse...

ôo sua coisa! conseguiu comprar o filme fotográfico afinal?
que horas te encontro segunda na cásper?!

e vê se atende esse celular! =P

Aurora Combs disse...

Nossa, Rê! Muito boa! Vamos bater um papo sobre isso? Cara, suas entrevistas estão ficando cada vez melhores!

Anônimo disse...

Gostaria que toda essa "realidade" de: Gilberto Gil, Ministro da Cultura, fosse apenas um pesadelo... mas infelizmente, estamos no Brasil.