segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Antes que eu me esqueça

Em 1977, o cineasta e crítico Jairo Ferreira já havia filmado três curtas, auxiliado por gente como Carlos Reichenbach, Inácio Araújo e Rogério Sganzerla.

Conheceu o poeta Cláudio Willer no mesmo ano, entrevistando-o para a Folha de S. Paulo. Na época, Willer iniciava um projeto editorial chamado Feira de Poesia, que lançaria em dezembro sua primeira obra literária - "Antes que eu me esqueça", de Roberto Bicelli, com desenhos de um ilustrador até então desconhecido, Guto Lacaz.

Jairo Ferreira tomou conhecimento sobre o festim poético que se realizaria para o lançamento do livro em questão. Não por acaso, era o próprio Bicelli que organizava o evento, no Teatro Célia Helena. Não haveria somente sua leitura, mas participações de Roberto Piva, Eduardo Fonseca, Cláudio Willer, Nelson Jacobina e Jorge Mautner.

O resultado é um filme homônimo de 14 minutos, pouco (ou nada) visto nos últimos 30 anos. "Antes que eu me esqueça" faz parte do acervo do Itaú Cultural e está sendo exibido no Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo - 2007, junto de outros 4 curtas de Jairo Ferreira.

Na foto abaixo, o encontro entre os poetas e alguns papagaios de pirata. Em sentido horário: Willer, Lia, Bicelli, Renata, Wagner e Douglas. No Catedral, São Paulo - ago/2007:

6 comentários:

douglas.dangelo disse...

Perfeito! Adorei o curta e o texto que escreveu. Papagaio de pirata foi legal.

30 anos depois, somos parte da história, timidamente, mas parte da história.
Antropoesia!!!
Douglas

descompassada disse...

jairo ferreira é daqueles que merecem ser revistos e não apenas vistos. idem ibidem para willer e piva na escrita. no http://cinema-de-invencao.blogspot.com/, textos do próprio, republicados recentemente.

wagner_revisor disse...

encontro com willer, bicelli, d'elia, e douglas. conhecer a lia. se alguma coisa legal acontecer em literatura nos próximos tempos certamente vai passar pela mão dessa turma. jornalisticamente convencido eu até me escondo. mas é de se comentar o importante trabalho que douglas e d'elia fazem agitando a leitura desses que são as maiores figuras da nossa literatura. contracultura, cerveja e muita poesia. e comemorações, que o bicelli merece.
wagner - comovido.

wagner disse...

duas coisas: se acontecer alguma coisa legal na arte em duas décadas aposto em douglas e d'elia. os dois estarão devidamente ligados ao que acontecer. segundo a mais forte: antes que eu me esqueça: a literatura, como conhecemos, não será a mesma. toda a leitura se altera, com Willer, Bicelli, os escritores que vêm alterando o panorama, que mudaram a escrita duas mil vezes. então, piratear assim é gozar o paraíso em mares caribenhos...

Álvaro disse...

retribuindo a fuçada, também te adicionarei!

gostei daqui.

Aline disse...

delía no futuro não será mais o papagaio,mas a pirata ;)