sábado, 28 de agosto de 2010

E o Top 10 virou Top 20!

Ok. No mundo das melhores cenas românticas até que eu botei mais decepções do que beijos apaixonados. Beleza, a ideia era essa mesmo. Mas depois da lista das 10 Mais me vieram tantos filmes à cabeça e tantas dicas de amigos -- coisas que eu tinha esquecido completamente -- e as duas únicas que eu quis deixar de fora foram a do Marlon Brando passando manteiga na Maria Schneider em O Último Tango em Paris e o super clichê do vaso entre Patrick Swayze e Demi Moore em Ghost.



Esqueça a ordem das coisas. O resto é resto e eu não gosto de excesso de mel. O puro erotismo, o desajuste e o desgosto também podem ser romantismo. How about you, mate?

11) Traídos Pelo Desejo (Mike Leigh, 1991)
No meio de uma trama irlandesa, um homem heterossexual descobre que sua amante tem um brinquedo erótico.


12) Morte em Veneza (Luchino Visconti, 1971)
Tadzio e o maestro. Gosto da cena da janela.


13) Violência e Paixão (Luchino Visconti, 1974)
Helmut Berger pagando de peladinho. Todo mundo pagando de peladinho! Silvana Mangano e Burt Lancaster são os velhinhos da casa (ela devia estar dormindo). E a música é Testardo Io, versão da Iva Zanicchi para um velho clássico brega do Robertão...


14) As Mil e Uma Noites (Pier Paolo Pasolini, 1971)
A melhor cena erótica -- e são muitas -- aparece nesse filme com o personagem do Ninetto Davoli, que usa um arco e flecha gigante, com um falo na ponta, para acertar o alvo da musa deitada no chão.


15) As Corças (Claude Chabrol, 1968)
Ela era amante da outra. Mas aí a outra encontrou um bonitão na cidade e a história virou um triângulo amoroso bissexual em alta voltagem erótica, cheio de vinho e de França. Uma bela transa... uma mulher atrás da porta... e uns bons ódios vingativos. Viva Chabrol!


16)Perdas e Danos (Louis Malle, 1993)
Eu gosto muito desse filme do Louis Malle. As cenas dispensam apresentações. O que precisa ser dito, pra quem não conhece o filme, é que Jeremy Irons faz o papel de um político que inicia um romance tórrido com a noiva do filho, interpretada pela Juliette Binoche.


17) A Professora de Piano (Michael Hanake, 2001)
Outro filme que dispensa apresentações. As cenas em questão começam a partir dos 4 minutos, mas é bom assistir tudo para entender o contexto.


18)Esse Obscuro Objeto de Desejo (Luis Buñuel, 1977)
O balde de água fria na beira do trem é exatamente o que eu queria fazer com todas as pessoas que não sabem se ficam ou se vão. #vingança Uma das principais fontes de Pedro Almodóvar. O filme vale por cada segundo.


19) A Um passo da Eternidade (Fred Zinnemann, 1953)
Burt Lancaster & Debora Kerr ensinam ao mundo o que é romantismo.


20) Bonequinha de Luxo (Bçake Edwards, 1961)
Porque Audrey Hepburn e George Peppard na adaptação da novela de Truman Capote formam um dos mais clássicos dos clássicos. O tipo de coisa sem prazo de validade, para além de todos os clichês e de todas as imagens que parecem sempre ter existido.


2 comentários:

xinho disse...

faltou nastassja kinsky em cat people. amarrada na cama. suei.

Lucas disse...

'A Um passo da Eternidade (Fred Zinnemann, 1953)' e 'La Pianiste (Michael Hanake, 2001)' são as minhas cenas preferidas, dos vídeos selecionados! (...) Aproveito para citar a cena de sedução memorável de Michelle Pfeiffer e Michael Keaton em 'Batman – O retorno (1992)'; que língua!