quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

O triste fim de Policarpo Quaresma

Nova York, segunda-feira, 30/11/2009. O ator Robin Williams foi ao programa do David Letterman. Foi anunciado, dirigiu-se ao palco, sentou-se ao lado do apresentador e mandou: “Espero que Oprah não esteja chateada com as Olimpíadas. Chicago enviou a Oprah e a Michelle (Obama). O Brasil mandou 50 strippers e meio quilo de pó. Não foi uma competição justa”. A piada foi parar nas homes dos principais sites noticiosos daqui. "Babá Quase Perfeita diz que no Brasil só tem puta e cheirador de cocaína". "Dr. Patch Adams fere a honra e os princípios morais do nosso país varonil". No Jornal da Globo, Christiane Pelajo treme e finaliza a nota coberta com um adendo: "O ator já passou por duas clínicas de desintoxicação por causa do vício em cocaína". O comitê do Rio 2016 avisou que vai processar.

Eu achei a piada ruim. O texto da Pelajo foi mais engraçado. Mas generalizando os Estados Unidos como um país de zumbis do Thriller versão obesa, não entendo o porquê de tamanha despeita. Aqui não é o país do sexo fácil? Nossos traficantes não são de dar inveja aos gângstas americanos? E traficante vende o quê, bijouteria? Nós somos os primeiros a pagar de paraíso sexual e vender nossas mulheres-bunda, boleiros, praias e festas como as maiores maravilhas do mundo. Segundo a D´Elia Research Inc. , pelo menos metade dos consumidores de bundas fáceis é muito bem criado, consome cocaína, e vive debaixo do mesmo teto dessa galera que achou um absurdo a piada da Babá (sic).

Eu não consumo cocaína nem strippers. Acho até que uma bela stripper traz muito mais prazer do que qualquer droga. Desconfio que os EUA tenham mais strippers e cocainomaníacos que o Brasil. E tudo leva a crer que nossas strippers & drogas são muito mais interessantes que as deles. E então, qual é a encrenca? Ponto para nós. What´s hapenning, brother?


6 comentários:

Tharcy disse...

ótimo texto. concordo em gênero, número e grau. e fico revoltadíssima com aqueles que ficaram "doídos" com o comentário do Homem Bicentenário. quer dizer, fazer piada com são paulino, gaúcho, argentino e português, pode. agora, o homem faz uma piada - ruim ou não - sobre a gente e nossas VERDADES e a galera já quer processar, acha absurdo e o caralho a quatro? dá licença, né. alô, hipocrisia. ele é um comediante, for God's sake!

abraço,

Tharcy

Leandro Pimentel disse...

99% das pessoas que acharam que ele tava errado ou querem processar o coitado, não saem nas ruas para exigir seus diretos, não pensam duas vezes para votar em alguém menos pior ou não reclamam de nada dessse país "100% maravilha". gente hipócrita, isso é o que eu acho. Não querem ser vistos como macacos cheirados de cocaína e prostitutas? façam por onde, ajudem a fazer!

William disse...

Robin... Quem?
Só acompanho o mainstream.
Atores que não figuram entre os 30+ bem pagos de Hollywood eu num dou a mínima.

Sim, a Pelajo foi cruel. Eu vi. Finesse.

Larissa disse...

A babá é quase perfeita, ainda não atingiu o ápice de seu potencial. Eu acho que essa gente que quer processar o cara não tem mais o que fazer. Pelamor, Brasil! Quer mesmo que a gente deixe de ser piada "negativa" lá fora? Quer mesmo? É só parar de fazer merda. Simples assim.

Ele não falou nenhuma mentira. E a Pelajo sempre me faz rir. SEMPRE.

Renata, teus textos... Bem, acho que nem preciso falar. Jogo confete na tua cara direto e reto.

Bruno disse...

Brasileiro não aceita piada, é um povo mesquinho e apenas a bajulação lhe é cara.

Leninha1986 disse...

a piada foi infeliz, mas mais infelizes são os hipócritas que querem nos fazer acreditar que é tudo mentira...
Sem dúivida o tráfico de drogas e turismo sexual no Brasil (inclusive com menores) movimentam milhões... e quem se importa? contanto que não espalhem, não é mesmo?